Se eu for até o portão e contar até três minha mãe aparece

Se eu fizer isso três vezes e ela não voltar da rua é porque morreu

Se eu pegar cinco folhinhas verdes de planta e estender no varal com o pregador o Brasil ganha o jogo

Se eu voltar correndo do quintal sem respirar o sapo não pula em mim

Se eu rezar o Santo Anjo todas as noites sem esquecer nenhuma ninguém adoece

Se eu bater na boca toda vez que pensar em menstruação eu não cresço nunca

Se um carro preto passar aqui na porta agora ou daqui a pouco é porque amanhã não chove

Se eu andar pelo cachorro sem olhar, fingindo que não tenho medo, ele não corre atrás de mim

Se eu repetir muitas vezes que está tudo bem, ganho uma vida nova

Tatiana Mendonça escreve às sextas 

Anúncios