Caríssimos leitores,

escrevo cheio tanto de alegria quanto de modesto orgulho para lembrar-lhes de que, no último dia 27 de março, O Purgatório completou seu primeiro ano de existência.

Aliás: de vida, arrisco dizer, com certeza de que o predicado ultrapassa o mau costume publicitário da antropomorfização indiscriminada. Porque, afinal, foi um ano de vida inteligente; vida inteligente e (o primordial do humano) sensível.

Pois vida inteligente porque sensível foi o que emergiu da liberdade de escolha de temas e de expressão do próprio estilo de que cada um dos autores daqui desfrutou. Somem-se outros dois princípios ativos – as metas de produzir textos curtos e de atualiazá-los diariamente – e eis toda nossa fórmula.

Nesse período, abrigamos nove escribas fixos e outros tantos convidados.

Tiro portanto o chapéu aos amigos do time atual de autores – Ricardo Viel, Diego Damasceno, Carmezim, Camilla Costa, Tatiana Mendonça e Alex Rolim – grato sem palavras pela parceria. E abraço Vítor Rocha e Pablo Solano, sócios-fundadores que já passaram o bastão, além de Pedro Fernandes, Carla Bittencourt e Breno Fernandes, nossos convidados mais assíduos, representando todos os que já nos brindaram com adoráveis colaborações.

Alguns números desse ano de trabalho coletivo: 368 textos publicados (crônicas e umas poucas reportagens, tantos contos breves, alguns poemas, além dos calhaus); que receberam 589 comentários; escritos de 20 cidades diferentes ao redor do mundo; recebidos diária ou semanalmente por 78 assinantes; lidos, no todo ou em parte, por 33.915 visitantes.

Números acima do esperado. Mas que, por serem números, não se prestam a medir o tamanho da felicidade de fazer parte dessa empreitada.

Obrigado, e voltem sempre.

Ricardo Sangiovanni escreve aos domingos

Anúncios