para Maíra

quando você vier
– súbita tinta-cor da vida –
serei dois barcos no cais
com dois amores locais
e duas almas despidas

quando
seu pé sem pele
tocar a grama
do meu coração
serei madrugada
em plena virada
mercúrio, granada
vermelho e explosão

hei de ter contigo
na ladeira estreita
na lareira feita
do meu corpo em sim

não deixe de vir
pois o tempo come
e aumenta a fome
de você em mim

Carmezim escreve às quartas-feiras

 

Anúncios