Créd.: Stefan Hess

para Manoel de Barros

empunhando palavras
como sementes
à maneira de Mané

desaprendendo
em soletração
cada miúdo grão
da natureza

destreza
cantares

pela fresta
assobia a madeira
de amores com a quase ventania

desolhar
os galhos se chamegam
tal qual
a tua poesia
no meu peito

Carmezim escreve às quartas-feiras

Anúncios