coração

borboleta suja,
casa-de-mãe-joana,
lancha mar-grande-salvador,
quem pisou em ti
entrou

devastou jardim
de tulipas hortênsias orquídeas
deixou pegadas
pesadas

fez bagunça
com patins
no gelo teu

sambou com pés calçados
na tua terra
saracoteou
e riu da tua desgraça

você, encantado, sorriu de volta

coração,
borboleta suja,
burrice,
desse tantão assim,
não tem remédio

Carmezim escreve às quartas-feiras

Anúncios