dado o tardar da hora
não é preciso que fales

a esta altura
tua mão é porto
teu peito é cama

o teu ir é chama
e o destino é morto

dado o tardar da hora
eu só te sei e mais nada

você:
beleza suspensa sobre meu nariz

dado o tardar da hora
– posto que hora é tempo ido –
sou o avesso do que serei quando voltares

aí então

o tempo será outro

esculpido em cores
cheirando a alecrim

Carmezim escreve às quartas

 

Anúncios