Reza a lenda da internet que Bill Gates um dia foi convidado para dar uma palestra em uma escola secundária (ou escola primária, ou universidade) e, além de ter chegado de helicóptero, tirando onda, levou somente um papel no bolso com onze itens.

Nesta cena fictícia, em que Bill Gates provavelmente seria interpretado por Tom Cruise (ou Tom Hanks, a depender do público-alvo), ele teria lido tudo em menos de 5 minutos, sido aplaudido de pé por mais de 10 minutos e ido embora em seu helicóptero. Provavelmente olhou para trás antes de partir e disse algo como “I’ll be back” ou “I’m CEO, bitch”, não sabemos.

A lista que blogs, sites e redes sociais dizem ter sido escrita num pedaço de papel (ou nas tábuas da lei) por Bill Gates, se chama “Onze coisas que você não aprendeu na escola” e foi tirada do livro “Dumbing down our kids: Why american kids feel good about themselves but can’t read, write or add”, do educador americano Charles J. Sykes. Bill Gates nunca leu essa lista em lugar algum, a não ser que tenha recebido algum power point com ela.

Os itens da lista trazem uma ideia muito peculiar de educação acadêmica e de educação doméstica, com a qual discordo, devo dizer. Mas é interessante – e um pouco deprimente – ver tanta gente compartilhando o texto nas redes sociais como prova de que a escola não nos preparou para a vida.

Me reservei o direito de fazer alguns comentários às tais “regras de Bill Gates”, com as minhas pérolas de sabedoria adulto-juvenil. Mas se é pra dar legitimidade à coisa, podem espalhar por aí que quem escreveu isso foi, sei lá, Chico Xavier.

1. A vida não é fácil — acostume-se com isso.

A vida mesma vai se encarregar de mostrar que não é fácil. A ideia de que a escola tenha que ensinar você a “se acostumar com isso” parte do entendimento do ambiente escolar como um acampamento militar, onde é preciso levar chicotadas para aprender sobre a dureza do mundo real. Mas uma escola burocrática, autoritária e injusta é só uma escola ruim mesmo.

2.  O mundo não está preocupado com a sua auto-estima. O mundo espera que você faça alguma coisa útil por ele ANTES de sentir-se bem com você mesmo.

Sem auto-estima, é difícil fazer algo útil por si ou pelo mundo. O desenvolvimento de uma auto-imagem saudável (nem auto-condescendente, nem auto-depreciativa) não é um luxo, e sim uma condição para qualquer aprendizado. Só quem sabe que tem capacidade de aprender e realizar consegue se comprometer a fazê-lo.

3. Você não ganhará R$20.000 por mês assim que sair da escola. Você não será vice-presidente de uma empresa com carro e telefone à disposição antes que você tenha conseguido comprar seu próprio carro e telefone.

Na verdade, talvez você seja presidente antes mesmo de sair da faculdade, especialmente se tiver uma boa ideia para um negócio de internet. Mas isso não quer dizer que você é muito bom, nem que já não tem o que aprender com pessoas que estavam por aí antes de você, nem que todas as portas se abrirão de uma vez.

4. Se você acha seu professor rude, espere até ter um chefe. Ele não terá pena de você.

Se você acha seu professor rude, ele pode estar sendo duro porque julgou necessário ou pode estar respondendo de cabeça quente a uma grosseria sua. Mas ele também pode estar sendo rude mesmo e você não deve aceitar ser desrespeitado só porque ele é seu professor. O mesmo vale para seu chefe. Vale mais a pena cultivar o respeito mútuo do que o hierárquico.

5. Vender jornal velho ou trabalhar durante as férias não está abaixo da sua posição social. Seus avós têm uma palavra diferente para isso: eles chamam de oportunidade.

Fazer bicos não é um problema e você pode aprender muitas coisas com eles. Só que ficar de férias também é ótimo e ensina bastante. Mas quem vai te ensinar mesmo sobre o valor do trabalho e como você deve encará-lo são seus pais. Parem de jogar na conta da escola a parcela de responsabilidade dos pais no desenvolvimento da visão de mundo dos filhos.

6. Se você fracassar, não é culpa de seus pais. Então não lamente seus erros, aprenda com eles.

Fracasso é um conceito EXTREMAMENTE relativo e é importante pensar um pouco antes de definir algo como tal. Lamente os seus erros um pouco, porque isso é importante também. Quem nunca lamenta os erros muitas vezes não os reconhece. Tenho certeza que Bill Gates lamentou não ter mandado matar Steve Jobs quando podia.

7. Antes de você nascer, seus pais não eram tão críticos como agora. Eles só ficaram assim por pagar as suas contas, lavar suas roupas e ouvir você dizer que eles são “ridículos”. Então antes de salvar o planeta para a próxima geração querendo consertar os erros da geração dos seus pais, tente limpar seu próprio quarto.

Antes de você nascer, seus pais foram jovens e encararam a vida de outra forma. Só que eles esqueceram disso porque estão concentrados na tarefa de tentar dar a você uma juventude mais protegida e “bem-preparada” do que a que eles tiveram. Tenha paciência com eles. Aprenda a limpar seu quarto porque é útil saber limpar a própria sujeira e não depender de ninguém pra isso. E porque ser parte de uma geração que sabe limpar a própria sujeira já é um bom passo para consertar os erros da geração dos seus pais.

8. Sua escola pode ter eliminado a distinção entre vencedores e perdedores, mas a vida não é assim. Em algumas escolas você não repete mais de ano e tem quantas chances precisar até acertar. Isto não se parece com absolutamente NADA na vida real. Se pisar na bola, está despedido… RUA!!! Faça certo da primeira vez!

Se a sua escola eliminou a distinção entre vencedores e perdedores, continue estudando lá e matricule seus filhos também, porque esta é a melhor coisa que eles puderam fazer pela sua educação. O sistema educacional tem que garantir que todos atinjam um denominador comum no aprendizado. Alguns ultrapassarão essa média e farão isso mais rápido do que outros. Bom pra eles. Quanto ao trabalho, às vezes vão te por na rua por uma besteira, às vezes por uma grande pisada de bola que você deu. E às vezes as pessoas vão te manter lá mesmo que você faça merda, porque elas enxergam potencial em você ou porque são amigas dos seus pais. Neste último caso, se demita.

9. A vida não é dividida em semestres.Você não terá sempre os verões livres e é pouco provável que outros empregados o ajudem a cumprir suas tarefas no fim de cada período.

A grande diferença aqui é que a vida adulta é dividida por você mesmo, e não pelo MEC. Então a responsabilidade de encontrar um tempo livre para descansar e se dedicar aos seus projetos é sua. Não deixe ninguém, MUITO MENOS O SEU PATRÃO, te convencer de que ter férias, folgas, fins de semana e períodos sabáticos é “vida boa de quem não gosta de trabalhar”.

10. Televisão NÃO é vida real. Na vida real, as pessoas têm que deixar o barzinho ou  a boate e ir trabalhar.

Mas na vida real as pessoas também vão para a boate e o barzinho e não precisam se sentir culpadas de não estarem trabalhando o tempo todo. E na televisão, muitos personagens trabalham em boates e barzinhos. Então dê um desconto aos pobres coitados.

11. Seja legal com os CDFs (aqueles estudantes que os demais julgam que são uns babacas). Existe uma grande probabilidade de você vir a trabalhar PARA um deles.

Seja legal com o CDF e com o repentente. Qualquer um deles pode virar alguém na noite e te trazer vantagens no futuro, mas seja legal com eles na escola especialmente porque vocês não passam de guris e podem se divertir juntos. O cara não vira um otário automaticamente por ser estudioso, mas se ele for babaca, trate-o como tal. E se você um dia encontrá-lo no mundo do trabalho, dê uma chance, ele pode ter mudado. Mas se ele continuar babaca, não trabalhe na empresa dele. Sério.

Camilla Costa escreve às quintas-feiras.

Anúncios