Neste domingo, Sóror Juana Inés de la Cruz tem mais que eu a dizer. Abaixo, um seu poema, seguido de uma tradução livre para o Português.

 

QUEJASE DE LA SUERTE: INSINUA SU AVERSION A LOS VICIOS, Y JUSTIFICA SU DIVERTIMIENTO A LAS MUSAS.

 

EN PERSEGUIRME, Mundo, ¿qué interesas?

¿En qué te ofendo, cuando sólo intento

poner bellezas en mi entendimiento

y no mi entendimiento en las bellezas?

 

Yo no estimo tesoros ni riquezas;

y así, siempre me causa más contento

poner riquezas en mi pensamiento

que no mi pensamiento en las riquezas.

 

Y no estimo hermosura que, vencida,

es despojo civil de las edades,

ni riqueza me agrada fementida,

teniendo por mejor, en mis verdades,

consumir vanidades de la vida

que consumir la vida en vanidades.

 

Tradução livre:

 

QUEIXA-SE DA SORTE: INISINUA SUA AVERSÃO AOS VÍCIOS, E JUSTIFICA SEU DIVERTIMENTO ÀS MUSAS.

 

EM PERSEGUIR-ME, Mundo, que te interessa?

Em que te ofendo, quando só tento

pôr belezas em meu entendimento

e não meu entendimento nas belezas?

 

E não estimo tesouros nem riquezas;

e assim, sempre me causa mais contentamento

pôr riquezas em meu pensamento

em vez do pensamento nas riquezas.

 

E não estimo formosura que, vencida,

é despojo civil das idades,

nem riqueza me agrada fementida*,

tendo por melhor, em minhas verdades,

consumir vaidades dessa vida

que consumir a vida em vaidades.

 

* enganosa, falsa

Anúncios