Escrever não é abrir clareiras em uma floresta de palavras. É plantar em demasia numa terra deserta de modo que, junto com as árvores, os caminhos brotem espontaneamente do chão.

Diego Damasceno escreve às terças

Anúncios